//Cascais, TEC sem subsídios

Cascais, TEC sem subsídios

O Teatro Experimental de Cascais (TEC) ficou excluído da lista de beneficiários dos subsídios plurianuais para o teatro.
Como reação a esta notícia, o diretor do TEC, Carlos Avilez, disse estar em “estado de choque” e anunciou ir pedir uma audiência urgente ao primeiro-ministro.
É a primeira vez que o TEC não está comtemplado pelos subsídios do governo de apoio ao teatro, em 52 anos de atividade.
No dia Mundial do Teatro, o TEC estreou a sua 154.ª produção – “´As you like it” – Como vos aprouver” e foi agraciado, pelo Presidente da República, com o grau de membro honorário da Ordem de Mérito, pelos seus 52 anos de atividade.
O presidente da Câmara de Cascais, Carlos Carreiras, já apelou ao Governo para que continue a apoiar o Teatro Experimental de Cascais (TEC), “a companhia europeia há mais tempo permanentemente em palco”, e rever os apoios financeiros estatais.
O autarca qualificou como “injustos” os resultados provisórios do Concurso ao Programa de Apoio Sustentado 2018-2021 da Direção-Geral das Artes.
A câmara de Cascais apoia complementarmente o TEC, de diferentes formas, nomeadamente financeira, em que contribui com 150.000 euros.
Segundo o autarca, a não atribuição do apoio governamental pode obrigar ao encerramento do TEC e da Escola Profissional de Teatro.